«[..] existiam [no Pero Vaz] dois espaços especiais - a Gafieira de Zacarias e o Barracão de Seu Waldemar onde aconteciam as lutas de capoeira e a rinha de galos, sempre aos finais de semana. Quando Seu Joaquim Fiuza [nascido em 1946] era um jovem moço, sempre ia a esses dois lugares para se divertir, dançar e beber na Gafieira e assistir às incríveis apresentações de capoeiristas no Barracão. Ele se lembra de como batiam palmas para Seu Waldemar e, em coro, o chamavam de „Sete molas“ [existiu também um mestre com este nome, que teve sua roda perto de M Waldemar] devido a sua agilidade corporal e capacidade de jogar capoeira sem sujar suas roupas brancas, usadas nos finais de semana, como qualquer bom capoeirista.»


«O finado Traíra é que tomava conta da roda. Eu chegava lá, dava minha ordem e ia tomar minha cerveja. Eu estava feito.»


«Na entrevista que [Marcel Gautherot] me concedeu, já citada, comenta que «a única coisa que os grupos [inclusive o do M Waldemar?] me pediram era uma cachaça. Nunca pediram dinheiro para se deixar fotografar. Foi sempre na amizade.»»



Páginas dedicadas aos Velhos Mestres de Capoeira. A nossa idéia é a reconstruir e apresentar suas vidas baseando nas fotos, videos, áudios e textos históricos.

Flickr Fotos

    Atualizações do blog direto a seu inbox

    Back to Top